politica

Tentativa de golpe de Estado: como Bolsonaro aparece nas investigações e o que diz o ex-presidente

Creditos: G1 Política

J
air Bolsonaro foi investigado pela Polícia Federal (PF) sobre possíveis envolvimentos em um plano golpista. O documento encontrado no gabinete do presidente no Palácio do Planalto, na sede do Partido Liberal (PL), previa a decretação de um estado de sítio e a operação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no país. O documento não estava assinado e não especificava quem o teria elaborado, mas era semelhante ao que Bolsonaro teria discutido com ministros antes das eleições. Bolsonaro convocou ministros para discutir medidas antes das eleições e pediu que "o plano B" fosse "botado" antes das eleições. Ele também afirmou que iria "virar guerrilha" se ele perdesse as eleições.

    A investigação da PF também encontrou um vídeo onde Bolsonaro cobra atitude dos aliados para "botar o plano B". Ele também foi implicado em um outro documento de cunho golpista que previa a prisão dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, além da prisão do presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). O documento também previa a realização de novas eleições.

    A defesa de Bolsonaro negou que ele tivesse especificamente discutido um golpe e afirmou que o documento foi impresso para que ele pudesse ler. Eles também negaram que Bolsonaro tenha compactuado com ideias golpistas e afirmaram que o documento foi impresso para que ele pudesse tomar conhecimento do material dos arquivos mencionados na investigação da Polícia Federal.

    O então ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) general Augusto Heleno também foi investigado por sugerir que agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) fossem colocados nas campanhas de Bolsonaro e de seu principal adversário, o hoje presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Heleno foi interrompido por Bolsonaro ao demonstrar receio de que as falas vazassem.

Ver notícia completa...

Mais notícias sobre politica
politica

Camilo Santana diz ser 'fundamental' aprovação do Novo Ensino Médio no 1º semestre

O ministro da Educação, Camilo Santana, defendeu nesta quarta-feira (28) a aprovação do Novo Ensino Médio ainda no primeiro semestre para permitir a implantação das mudanças em 2025. O governo federal enviou em outubro de 2023 um projeto de lei para o Con
Mais notícias sobre politica
politica

STJ marca para o dia 20 de março julgamento do pedido da Itália para Robinho cumprir pena

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) marcou para o próximo dia 20 o pedido do governo da Itália para o ex-jogador Robinho cumprir pena no Brasil. De acordo com o MPF, o Tribunal de Milão solicitou ao estado brasileiro que homologue a sentença condenatória